Os médicos Márcio Medeiros e Angelo Bomfim participam do 10º Congresso Brasileiro de Neurorradiologia Diagnóstica e Terapêutica

A Sociedade Brasileira de Neurorradiologia Diagnóstica e Terapêutica (SBNRDT) realizou em Porto Alegre o seu 10° Congresso Brasileiro, entre os dias 27 a 29 de setembro deste ano.
Os médicos do serviço de Radiologia Intervencionista e Cirurgia Endovascular do Hospital do Coração de Alagoas e da Angioneuro – Hospital do Açúcar , participaram do 10º congresso Brasileiro de Neurorradiologia Diagnóstica e Terapêutica.
Ocorrido na capital Gaúcha com uma plateia seleta de médicos especialistas no tratamento endovascular das doenças cerebrovasculares e contando com a presença de especialistas da Alemanha, França e Estados Unidos com renome internacional, foram abordados temas sobre os últimos avanços no tratamento por cateter dos aneurismas cerebrais e das malformações arteriovenosas cerebrais. Foi possível discutir sobre as melhores técnicas e estratégias para a abordagem destas doenças.
Uma fatia relevante do tempo foi reservado para conferências sobre o tratamento de emergência no acidente vascular encefálico (AVE) na fase aguda, que vem ganhando destaque como a forma mais efetiva de resgatar a perfusão cerebral e evitar que os pacientes fiquem com sequelas neurológicas. Com os novos dispositivos existentes no mercado, capazes de extrair os trombos que obstruem a circulação cerebral e provocam o infarto cerebral, já é possível evitar eventos catastróficos, como AVE extensos que levam a sequelas incapacitantes ou a morte. Mas o rápido diagnóstico de AVC e uma transferência ágil para um centro onde possamos realizar o procedimento de desobstrução da circulação cerebral através de cateteres é fundamental para o sucesso do tratamento. Assim todos os médicos que trabalham em emergências e em UTIs devem estar atentos para o diagnóstico precoce de AVC e um rápido encaminhamento para o tratamento especializado.
Estamos na vanguarda do tratamento das doenças cerebrovasculares por métodos endovasculares e em analogia ao que ocorreu com as angioplastias coronarianas primárias para o tratamento do infarto agudo do miocárdio, a cirurgia endovascular no território cerebral se tornará uma constante.
Márcio F C Medeiros
Especialista em Radiologia Intervencionista e Cirurgia Endovascular
Pós-graduado em Neurologia Vascular