A mensuração da espessura da parede das artérias carótidas realizado por ultrassonografia com Doppler serve como estimativa do risco cardiovascular

A mensuração da espessura da parede das artérias carótidas realizado por ultrassonografia com Doppler serve como estimativa do risco cardiovascular.

A mensuração da espessura da parede das artérias carótidas realizado por ultrassonografia com Doppler serve como estimativa do risco cardiovascular.
Com o desenvolvimento da aterosclerose, ocorre o espessamento do complexo mio-intimal (porção mais interna da parede das artérias) e posteriormente ocorre a formação de placas de gordura que podem culminar com o estreitamento do vaso.
O tratamento adequado dos fatores de risco para aterosclerose, como diabetes, tabagismo, hipertensão e colesterol alto, retarda ou estaciona a progressão da doença. A eficiência destes tratamentos podem ser observados pela estabilização e até mesmo regressão da espessura do complexo mio-intimal.